Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

NotreDame realiza 30% de partos normais em sua rede hospitalar

Operadora se torna exemplo com programa de acolhimento a gestantes
No Programa Gestação Segura, equipes acompanham da primeira consulta até o puerpério I Foto: Divulgação

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Com uma média de 5 mil partos ao mês, a Hapvida NotreDame Intermédica tem ultrapassado a meta estabelecida pela própria empresa de realizar 30% de partos normais na rede própria, que conta com 50 maternidades. Nas cidades onde o programa Nascer Bem está em operação, o indicador chega a 40%, bem acima da média da Anahp (Associação Nacional de Hospitais Privados), que é de 24,3% na rede privada no Brasil.

A diretora médica do programa Nascer Bem da Hapvida NDI, Daniela Leanza, lembra que sempre será priorizado e incentivado o parto adequado, que é a melhor opção tanto para a mãe quanto para o bebê. “Tudo vai depender das condições clínicas do binômio (mãe-bebê), mas sempre será avaliada qual a via de parto mais adequada para garantir o bem-estar dela e da criança, seja por meio da cesárea ou parto normal”, explicou.

O parto normal é recomendado pela OMS por apresentar vantagens em comparação à cesárea, que é uma cirurgia e, como tal, envolve riscos.

“O parto normal traz uma série de benefícios, como menor risco de o bebê apresentar desconforto respiratório e precisar ficar na UTI neonatal. Para a mãe, há menor risco de ter hemorragia e complicações da cirurgia, além de facilitar a amamentação e proporcionar uma recuperação física mais rápida”, detalha Daniela.

Na maior empresa de saúde da América Latina, um importante indicador é também a taxa de internação em UTI neonatal. A meta é que menos de 7% dos recém-nascidos precisem de cuidados intensivos nos primeiros dias de vida. Esse indicador reflete a qualidade da assistência ao parto e da assistência pré-natal. “O acompanhamento pré-natal é fundamental para prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças que podem complicar a evolução da gravidez”, relata Christine Marques, diretora médica do Programa Gestação Segura da Hapvida NDI.

“Nossa luta é sempre pela conscientização da paciente sobre a importância do início precoce do pré-natal, além da adesão às consultas e aos exames e tratamentos propostos. O início tardio do pré-natal ou o acompanhamento irregular podem atrasar o diagnóstico e prejudicar o tratamento de algumas doenças, como a diabetes gestacional e a pré-eclâmpsia”, exemplifica Daniela.

Gestação Segura

O programa ‘Gestação Segura’ está presente na Grande São Paulo, no Rio de Janeiro, em Curitiba e em Belo Horizonte. As gestantes acompanhadas pelo programa também contam como uma equipe multidisciplinar e com um call center exclusivo que as acompanham no pré-natal de alto risco.

“Nosso call center é mais técnico, com uma equipe multiprofissional, com nutricionista, psicólogo, fisioterapeutas e enfermeira obstetra para que a gestante possa tirar dúvidas, como alterações em exames”, destaca a diretora médica do programa.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade