Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Itaquá inaugura 12º Ecoponto e política ambiental chega ao Pequeno Coração

Com a inauguração, a gestão de Eduardo Boigues ultrapassou a metade da meta de 22 Ecopontos na cidade até 2024

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Na noite de quarta-feira (7), a Prefeitura de Itaquaquecetuba realizou a inauguração do Ecoponto Pequeno Coração, equipamento cujo objetivo é fazer com que os moradores do bairro realizem o descarte regular de resíduos sólidos. Este é o 12º Ecoponto inaugurado de uma sequência de 22 prometidos pela https://portalgazetaregional.com.br/wp-content/uploads/2023/06/ed440.pngistração municipal.

Com o funcionamento de segunda-feira a sábado, das 8h às 17h, o equipamento tem capacidade para receber móveis desmontados, madeiras, recicláveis, resíduos de construção civil e lâmpadas.

De acordo com a secretária municipal de meio Ambiente, Yasmim Zampieri, a ocasião da inauguração se tornou ainda mais “especial” quando se leva em consideração dois fatores: a celebração da Semana Nacional do Meio Ambiente, entre os dias 5 e 9 de junho, e o local onde foi instalado, na Rua Diogo Dias, exatamente ao lado do córrego.

Até o momento a região era conhecida por ser um “ponto viciado de descarte”, o que causava assoreamento do corpo d’água e acúmulo de lixo.

O prefeito Eduardo Boigues (PP) destacou a negligência do poder público itaquaquecetubense em gestões anteriores com a pauta ambiental durante anos como causador essa “cultura” de descarte irregular neste e em outros pontos da cidade. Ele também ressaltou o fato de, após a inauguração do Ecoponto e o trabalho de desassoreamento e limpeza feito no córrego, não haver mais motivos para que continue.

“Quando assumimos, nós cobramos muito que as pessoas não fizessem esse descarte irregular nas calçadas, nos mananciais e nos córregos, mas a população também fala ‘mas onde vamos fazer?’, e é isso que estamos trabalhando, para dar à população as condições de ter onde descartar da forma correta”, disse.

Lindovaldo de Araújo, o Vavá, 48 anos, dono de um comércio localizado exatamente à frente do equipamento, fez uma fala consonante com a do prefeito: “Isso vai agregar muito para a gente poder ter onde colocar os resíduos, que não tinha onde colocar. Agora precisa também de um pouco de consciência da população de que é ruim você estar descartando móveis velhos, eletrodomésticos e tudo mais em margem de rio.”

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade