Segunda votação de PL que prejudica funcionalismo de Poá está prevista para sexta-feira (23)

O “2º” turno de votação do PL (Projeto de Lei) que traz perdas ao funcionalismo municipal poaense, entre elas os R$ 400,00 do vale-alimentação, está previsto para acontecer nesta sexta-feira (23) informou o presidente da Câmara de Poá, Diogo Reis da Costa (PTB), o Diogo Pernoca. O parlamentar não precisou com exatidão a que horas vai começar a sessão plenária, pontuando que deve iniciar às 18 ou às 19 horas.

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Na primeira votação com a derrota da categoria houve tumulto e a sessão teve de ser suspensa     

Por Aristides Barros / Foto: Laerton Santos  

O “2º” turno de votação do PL (Projeto de Lei) que traz perdas ao funcionalismo municipal poaense, entre elas os R$ 400,00 do vale-alimentação, está previsto para acontecer nesta sexta-feira (23) informou o presidente da Câmara de Poá, Diogo Reis da Costa (PTB), o Diogo Pernoca. O parlamentar não precisou com exatidão a que horas vai começar a sessão plenária, pontuando que deve iniciar às 18 ou às 19 horas.

A imprecisão pode estar relacionada a preocupação de que se repitam os eventos registrados na primeira votação – terça-feira (20) – quando a Câmara aprovou por 9 contra 7 votos o projeto de autoria do Executivo. Bastou terminar a votação com a derrota dos servidores que começou um tumulto na Câmara com a sessão sendo interrompida, visando garantir a segurança e integridade física dos vereadores, funcionários e do público.

Sentindo que não iria ter mais condições de continuidade dos trabalhos, pois os ânimos estavam exaltados, “Pernoca” decidiu pela suspensão dos trabalhos.

Para a nova rodada de votação, lembrando que a matéria já foi votada em 1ª discussão, o PL retorna para a Câmara para a 2ª e decisiva votação. O clima na cidade é tenso e deve impactar sobremaneira toda cidade que além de sofrer com a pandemia do Coronavírus sofre uma forte crise financeira.

Antevendo que possam ocorrer mais manifestações, o presidente da Câmara de Poá já antecipou que pediu à GCM (Guarda Civil Municipal) que reforce a segurança. Pelo lado da categoria, os líderes sindicais devem estar presente nesse “segundo e decisivo turno de votação” que deve deixar a cidade em novo “estado de alerta”.

O tema também “mexe” na economia do município porque, como observam os sindicalistas, o dinheiro ganho com o vale alimentação por toda a categoria totaliza pouco mais de R$ 1 milhão, e é gasto no comércio da cidade. Retirando o benefício dos servidores, a medida aprofunda a crise financeira no município, avaliam. A prefeitura poaense tem aproximadamente 2,7 mil servidores.

O presidente da Câmara informou nesta quinta-feira (22) que a sessão extraordinária para a votação do PL 26 começa a partir das 17 horas de sexta-feira (23).

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade