Secretaria intensifica as ações contra os pancadões que fazem Itaquá tremer

O secretário municipal de Segurança Urbana de Itaquaquecetuba, Anderson Caldeira Lima, disse que a determinação do prefeito Eduardo Boigues (PP) é para que sejam feitas ações sequenciais visando erradicar todos os bailes funk que acontecem na cidade.

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

PM e GCM atuam nos fluxos que incomodam e infernizam o município

Da Redação / Foto: Bruno Arib

O secretário municipal de Segurança Urbana de Itaquaquecetuba, Anderson Caldeira Lima, disse que a determinação do prefeito Eduardo Boigues (PP) é para que sejam feitas ações sequenciais visando erradicar todos os bailes funk que acontecem na cidade.

A medida visa tranquilidade aos trabalhadores, que precisam descansar após um dia de trabalho cansativo e são impedidos quando os “fluxos” acontecem próximos às suas casas. A operação de desmonte dos pancadões também objetiva proporcionar silêncio às pessoas adoentadas, que necessitam de quietude para que se recuperem da enfermidade que foram acometidas.

Idosos e crianças estão entre os que mais sofrem com a barulheira provada por esse tipo de evento, que acontecem em vários pontos da cidade. “Temos o mapeamento onde eles ocorrem e já estamos atuando com sucesso na desarticulação desses eventos”, informou o secretário.

Ele também destaca a importância do serviço tendo em vista que os bailes funk provocam aglomerações com a participação de jovens.

“As aglomerações implicam no aumento dos casos de Covid-19, e a operação desencadeada pela Secretaria também acaba sendo uma forma de impedir que os casos da doença aumentem na cidade”, disse, já descartando que essa seja a razão principal da ofensiva contra os funqueiros. “O objetivo maior é conseguir que as famílias itaquaquecetubense tenham paz e que aquelas necessitadas de silêncio e repouso para um parente doente consigam isso, sem serem atormentadas”, destacou.

Sem Violência

Caldeira afirma que as ações não acontecem de forma enérgica, com o uso da força. “Até porque a GCM é uma polícia de proximidade, protetora, amiga e comunitária. A orientação do prefeito é o diálogo, uma mediação sem o uso da força”, informou. A GCM atua em conjunto com a PM na dispersão dos pancadões.

Sob a responsabilidade do secretário de Segurança também está a Defesa Civil Municipal, que fica 24 horas diárias monitorando as áreas de risco no sentido de prevenir eventuais tragédias com perdas de vidas humanas. “Áreas de alagamentos, deslizamentos e de enchentes são monitoradas constantemente”, frisou, destacando que é um trabalho de preservação da vida.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Uma resposta

  1. Mapeamento tem mesmo, uma vez que na administração estão pessoas como Xandão e Gilson Fidelis que tem muito conhecimento no assunto (o primeiro SÓ É conhecido por ter promovido pancadões por vários anos em várias regiões do municipio e o segundo, enquanto secretário de fiscalização de posturas na gestão Mamoru, tinha até familiar realizando pancadões!). Não esquecendo que a irmã do Xandão, a Sra. Tatiane, hoje cuida da infancia e juventude do municipio, pois tornou – se conselheira tutelar… Agora, o que me derruba é ver o secretário, que é PM, dizer em abordagem pacífica e sei mas lá o que! Rapidamente uma histórinha: pancadão. PM foi acionada. Chegando aqui o policial intimou EU! É… me disse que não mexesse com os vagabundos, porque ali estava um ninho de moribondo? Fica a pergunta: Estado pra que?*

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade