Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Região registra aumento entre 30% e 60% nos atendimentos a pacientes com sintomas respiratórios

Cidades do Alto Tietê vêm registrando um aumento considerável nos atendimentos a pacientes com sintomas respiratórios nas unidades de saúde nos últimos dias.

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Câmara Técnica de Saúde do Condemat reforçou a importância das medidas não farmacológicas para controle de doenças

Da Redação / Foto: Divulgação

Cidades do Alto Tietê vêm registrando um aumento considerável nos atendimentos a pacientes com sintomas respiratórios nas unidades de saúde nos últimos dias.

Dados levantados pela Câmara Técnica de Saúde do Condemat (Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê), apontam um aumento que varia de 30% a 60% nos registros de atendimentos nos municípios, tanto para crianças como para adultos.

De acordo com a coordenadora, Adriana Martins, estes dados são preocupantes e a melhor forma de controlar a disseminação de doenças respiratórias é a manutenção das medidas não farmacológicas como uso de máscara facial, álcool em gel e distanciamento.

“Os municípios estão realizando os atendimentos e monitorando os casos, mas a população precisa estar consciente de que a pandemia não acabou, que a Ômicron, nova cepa da Covid-19, já está circulando no Brasil em transmissão comunitária e que as medidas de proteção são fundamentais para evitarmos o contágio”, disse.

O aumento nos casos de sintomas gripais aumentaram em diversos pontos do país | Foto: Divulgação

A condição do estoque do medicamento Oseltamivir, que é https://portalgazetaregional.com.br/wp-content/uploads/2023/06/ed440.pngistrado em casos de sintomas respiratórios como medida de diminuição de agravos e, consequentemente, controle da transmissão viral, também foi destacada como um fator preocupante para os gestores. Na maioria dos municípios da região o estoque do medicamento está em baixa e não há previsão de novos envios por parte do Governo do Estado.

“Tudo isso reforça a necessidade de mantermos a cautela e continuarmos a seguir os protocolos como uso de máscaras faciais, uso do álcool em gel para higienização frequente das mãos e, apesar de ser um período de festas, ainda é preciso evitar aglomerações para que todos estejam protegidos”, reforçou Adriana.

O Condemta enviou um ofício ao Governo do Estado expondo a preocupação com o aumento dos atendimentos e solicitando abastecimento do medicamento, bem como a realização de campanha de conscientização para que a população mantenha as medidas protetivas.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade