Prefeitura de Poá deixa vazar dados de 2,7 mil funcionários

CPFs, endereços e telefones. Essas foram às informações sigilosas vazadas dos funcionários da prefeitura de Poá. Uma lista em formato excel com mais de 2,7 mil dados confidenciais de funcionários públicos, circulou em grupos de Whatsapp e outras Redes Sociais, durante esta quarta-feira (28). A lista contempla inclusive dados de funcionários do alto escalão, como secretários municipais e a própria prefeita, Marcia Bin (PSDB).

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

As informações confidenciais circularam por Whatsapp e outras Redes Sociais; Dados de Márcia Bin fazem parte da lista

Por Giovanna Figueiredo e Aristides Barros / Foto: Divulgação

CPFs, endereços e telefones. Essas foram as informações sigilosas vazadas dos funcionários da Prefeitura de Poá. Uma lista em formato excel com mais de 2,7 mil dados confidenciais de funcionários públicos circulou em grupos de Whatsapp e outras Redes Sociais, durante esta quarta-feira (28). A lista contempla inclusive dados de funcionários do alto escalão, como secretários municipais e a própria prefeita, Marcia Bin (PSDB).

O medo e a insegurança levaram diversos funcionários a registrarem boletim de ocorrência sobre o caso. Edna Geraldina Pena é auxiliar de enfermagem e teve suas informações vazadas. Ela já registrou boletim de ocorrência. Em entrevista à GAZETA, a profissional da saúde disse que está muito triste com a situação e com a https://portalgazetaregional.com.br/wp-content/uploads/2023/06/ed440.pngistração municipal.

“O servidor fica revoltado, a gente tem sido linha de frente nesse combate à pandemia e é tratado desse jeito. Querem tirar os nossos direitos e ainda vazam informações como essas. Isso é uma vergonha”, desabafou Edna.

A advogada Erivania El Kadri tem atuado em diversas causas envolvendo os servidores públicos da cidade e foi procurada por diversos profissionais da https://portalgazetaregional.com.br/wp-content/uploads/2023/06/ed440.pngistração poaense que estão em busca de soluções para o caso.

“Os servidores me procuraram a respeito do caso. Estou estudando medidas cabíveis, possivelmente entraremos com uma ação de danos morais e até uma ação criminal, mas ainda estou avaliando a situação. O que aconteceu é um desrespeito com o servidor”, explicou a advogada.

O professor e diretor geral da Associação Juntos Somos Mais Fortes, Edgar Passos, 36 anos, afirmou que a prefeitura poaense pode ser processada pelo vazamento de informações confidenciais dos funcionários municipais. Ele disse que a ação tem base na lei geral de proteção de dados que também aplica multas aos agentes que forem responsabilizados pelo vazamento. Passos, que é servidor público municipal de Poá, antecipou que a Associação deve entrar com processo contra a https://portalgazetaregional.com.br/wp-content/uploads/2023/06/ed440.pngistração.

O que diz a prefeitura

Procurada pela GAZETA para comentar o caso, a https://portalgazetaregional.com.br/wp-content/uploads/2023/06/ed440.pngistração municipal informou que “está apurando o que de fato houve e, caso haja necessidade, emitirá uma nota sobre o assunto”.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade