Prefeitura de Mogi recorre à Justiça para barrar instalação de pedágio na Mogi-Dutra

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Além de questionar o projeto da Artesp no Judiciário, Caio Cunha lidera mobilização regional contra a praça de pedágio

Da Redação / Foto: Ney Sarmeto-Divulgação PMMC

A Prefeitura de Mogi das Cruzes vai ingressar, por meio da Procuradoria-Geral do Município, com um conjunto de medidas judiciais que questionarão a proposta de instalação de uma praça de pedágio na Rodovia Mogi-Dutra e demais obras previstas na licitação. O objetivo é barrar o processo de implantação do pedágio a partir de problemas identificados no edital de licitação. Paralelamente, o prefeito Caio Cunha (PODE) coordena um movimento de resistência que vem crescendo a cada dia e reunindo importantes lideranças políticas, empresariais e comunitárias não só de Mogi das Cruzes, mas também de outras cidades da região que podem ser afetadas pela proposta.

O prefeito de Mogi, Caio Cunha, em ato contra a instalação do pedágio realizado no domingo (16) – Foto: Bruno Arib

“Já deixei claro que este projeto absurdo não será instalado em Mogi das Cruzes. A Artesp age com total falta de respeito à cidade e à sua população, simplesmente tentando empurrar uma proposta mal elaborada e que tem a rejeição unânime de toda a cidade. Esse sentimento de aversão ao pedágio também chega a outras cidades da região, como Suzano e Arujá, que seriam diretamente prejudicadas. Isso sem falar nos outros municípios, cuja população se desloca para Mogi das Cruzes de forma rotineira. Não aceitaremos essa afronta e não permitiremos que ela aconteça”, afirma Caio Cunha.

Proposta da Artesp não representa nenhum tipo de benefício à cidade, projetam mogianos

Estimativas de lideranças empresariais e do comércio são de que os preços de todos os produtos podem subir em função da cobrança, uma vez que as transportadoras passam pela rodovia e irão repassar os custos para a cadeia de consumo. Da mesma forma, os investidores ficarão mais receosos em aplicar recursos na instalação ou ampliação de empresas, uma vez que o custo da cidade e do acesso será maior. Aluguéis podem subir também por conta do impacto na economia local.

Mogi das Cruzes é o polo regional do Alto Tietê e a maior cidade do Cinturão Verde do Estado de São Paulo. Diariamente, centenas de produtores rurais passam pela Mogi-Dutra para levar hortaliças, frutas e flores para abastecer a Ceagesp e, portanto, todo o território paulista e até mesmo outros estados brasileiros. Além disso, a cidade possui o Distrito do Taboão, última área em toda a Grande São Paulo com áreas disponíveis para a instalação de grandes empresas. Toda essa cadeia produtiva seria diretamente afetada pelo pedágio.

VEJA MAIS:

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Uma resposta

  1. Fui o único que participei das duas audiências públicas a primeira e a última, nenhum Deputado Estadual ou Federal esteve presente nestas duas audiências. Cabe o arbitragem nesta questão pois pedi impugnação da audiência pois estava fora de seu prazo legal de acontecimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade