Potência do futebol do interior, time do Mirassol sobe para a Série C do Brasileirão

O título de Campeão Brasileiro de 2020 da Série D conquistado neste sábado (6) ao vencer por 1x0 o Floresta (CE) coloca o Mirassol Futebol Clube na disputa da Série C do Campeonato Brasileiro de 2021.

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Após a venda de atleta o clube que é presidido pelo prefeito da cidade fez valer o investimento e teve vitórias como resultado

Da Redação / Fotos: Marcos Freitas|Agência Mirassol – Divulgação

O título de Campeão Brasileiro de 2020 da Série D conquistado neste sábado (6) ao vencer por 1×0 o Floresta (CE) coloca o Mirassol Futebol Clube na disputa da Série C do Campeonato Brasileiro de 2021.  

A vitória do campeonato fecha a temporada de êxito do Mirassol, também registrada na posição de terceiro lugar no Campeonato Paulista de 2020, quando houve um “desmonte” da agremiação, que perdeu 18 jogadores devido a paralisação do Estadual, por causa da Pandemia da Covid-19.  

Ainda no título recém-ganho, o Leão se tornou o 18º clube de São Paulo a conquistar uma taça de Campeonato Brasileiro, independente da divisão. Também é a segunda equipe do estado a conquistar a Série D, repetindo o Botafogo-SP, que ganhou em 2015. 

Além do Mirassol, o Novorizontino e o São Bento são as equipes paulistas que disputarão a Série C do Brasileirão em 2021.

A escalada do Mirassol que tem nesse título a conquista mais importante dos seus 95 anos de fundação pode ser contada a partir de 1951, quando o clube passou a profissional. Com as chuteiras na elite do futebol participou de dez campeonatos paulistas, 20 na Série A2 e 22 na Série A3.  

Venda de atleta e investimento na base representam a guinada do Leão 

Os comentaristas dizem que o clube pegou o rumo norte, em 2017, na venda do atacante Luiz Araújo ao São Paulo, que depois o “repassou” ao Lille, da França. O Mirassol recebeu 20% da transação pois tinha direitos sobre o passe do atleta, e ficou com R$ 9 milhões.

Desse total investiu R$ 5,5 milhões em um CT (Centro de Treinamento), que conta com quatro campos, academia, vestiários, sala de imprensa, lavanderia, cozinha e refeitório, rouparia e 20 apartamentos que podem acomodar até 40 jogadores. 

A construção do CT era um antigo projeto do clube para dar condições de trabalho aos jogadores profissionais e da base. Entre os objetivos estava levar o time para as competições organizadas pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para atividades esportivas o ano inteiro, e o CT ajudou o Mirassol a alcançar a meta, informou Edson Antônio Ermenegildo, que é presidente do clube e prefeito de Mirassol. 

Prefeito e esportista ajuda a fase de ouro do clube

Foto: Vinicius de Paula | Agência Mirassol – Divulgação

A história oficial do presidente com o clube é de mais de duas décadas, sendo que ele preside o Leão já há 26 anos e esclarece que o não sai um centavo dos cofres públicos do município para o time. O próprio clube arca com as despesas de manutenção do estádio.

“Não haverá nenhum tipo de repasse da prefeitura para o Mirassol”, afirma o presidente.

Ermenegildo não tem salário e vencimentos são pagos para a comissão técnica e funcionários. O presidente afirma que a gestão do clube é partilhada com poucas pessoas, todas com linha unificada de pensamento.

Os gestores têm os pés no chão e fazem o que realidade financeira permite, sem passar um milímetro do que podem.  O presidente fala que a grande conquista do Mirassol, enquanto https://portalgazetaregional.com.br/wp-content/uploads/2023/06/ed440.pngistração, é não depender de verbas públicas para caminhar (no caso jogar).

As verbas saem de cotas de televisão e patrocínios, o que tende a aumentar com os jogos do Paulistão, Copa do Brasil e Série C do Brasileiro.  Há alguns anos o clube dependia de subsídios do prefeitura para se manter. Com o passar do tempo essa situação foi mudando, relata o presidente enfatizando que há muitos anos não a agremiação deixou de depender de verba pública.

Ele afirma que os clubes do interior, que têm poder pouco econômico, têm de trabalhar na formação de atletas visando a sustentação financeira. O Mirassol adotou essa forma de trabalho, investindo pesado nas categorias de base.

A venda do atacante Luiz Araújo prova que a receita, no sentido financeiro da palavra, é boa e lucrativa. “Acho que podemos servir de exemplo para outros clubes”, afirma o presidente ensinando que por meio de planejamento outras agremiações podem ter sucesso garantindo. O Mirassol tem: é campeão.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade