Mogi das Cruzes não está à venda

Somos uma cidade de 500 mil habitantes e exigimos respeito. Mogi das Cruzes não é terra de ninguém e a Artesp não pode fazer o que bem entende em nosso território. A proposta para a instalação de um pedágio na Mogi-Dutra é uma aberração e não tem o menor cabimento de tão esdrúxula que é.

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Por Marco Bertaiolli / Arte: Giovanna Figueiredo

Somos uma cidade de 500 mil habitantes e exigimos respeito. Mogi das Cruzes não é terra de ninguém e a Artesp não pode fazer o que bem entende em nosso território. A proposta para a instalação de um pedágio na Mogi-Dutra é uma aberração e não tem o menor cabimento de tão esdrúxula que é.

Estamos trabalhando em três frentes para impedir esta implantação: a jurídica para suspender o edital publicado de forma totalmente arbitrária pela Artesp; a política para mostrar os prejuízos de um projeto como esse para a nossa cidade e todo o Alto Tietê e a manifestação popular com a união de lideranças políticas, segmentos econômicos e de classe, da sociedade civil organizada, trabalhadores, empreendedores e produtores rurais, que geram emprego e renda não só para a nossa cidade, como para todo o Estado de São Paulo.

Depois de dois anos falando a mesma coisa nos tornamos repetitivos, mas a Artesp insiste em não ouvir. Então vamos repetir até que eles entendam: não vai ter pedágio na Mogi-Dutra! Não é possível que essa agência reguladora ainda queira enfiar goela abaixo de todos nós mogianos um projeto que só traz prejuízos, uma vez essa praça de pedágio não terá um centavo sequer revertido para investimentos ou melhorias na nossa cidade.

A Mogi-Dutra é nossa. Foi construída na década de 70 pelo então prefeito Waldemar Costa Filho com recursos do próprio Município. Já foi duplicada pelo ex-governador Geraldo Alckmin, depois de uma intensa movimentação da cidade que, na época, clamava por melhorias e por segurança na rodovia, trazendo mais desenvolvimento econômico e empregos para a nossa Região. Portanto, o que pedíamos e precisávamos, já foi feito.

Já pagamos um pedágio na Rodovia Ayrton Senna para ir e voltar de São Paulo. Não vamos pagar mais nenhuma taxa para transitar numa estrada que é nossa e que tem apenas 8 km de extensão, ainda mais agora num momento em que a economia passa por um momento tão difícil, com tanto desemprego e fechamento de empresas.

Por isso, Artesp, vamos repetir quantas vezes for necessário: Mogi das Cruzes não está à venda!

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Uma resposta

  1. Muito Interessante, encontrei quase sem querer esse blog e
    o artigo aqui, gostei muito do que lí aqui… Obrigado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade