Longe de atingir a imunidade de rebanho, Alto Tietê vacinou apenas 3% da população

Nesta semana o Brasil bateu recorde no número de óbitos por Covid-19, com São Paulo registrando as maiores taxas de ocupação de leitos para Covid, todo o Estado voltando à fase vermelha do Plano São Paulo e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmando que medidas de restrição são frescura e “mimimi”. Enquanto isso, a esperança de vencer essa pandemia, que é a vacinação, caminha a passos muito lentos. No Alto Tietê, apenas 3% da população recebeu a primeira dose e 1% recebeu a segunda dose.

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Diretora da OPAS afirma que é necessário imunizar 70% da população, mas número divide opiniões

Por Giovanna Figueiredo / Foto: Bruno Arib

Nesta semana o Brasil bateu recorde no número de óbitos por Covid-19, com São Paulo registrando as maiores taxas de ocupação de leitos para Covid, todo o Estado voltando à fase vermelha do Plano São Paulo e o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmando que medidas de restrição são frescura e “mimimi”. Enquanto isso, a esperança de vencer essa pandemia, que é a vacinação, caminha a passos muito lentos. No Alto Tietê, apenas 3% da população recebeu a primeira dose e 1% recebeu a segunda dose.

A GAZETA fez um levantamento com base nos dados populacionais da Fundação Seade, o número de casos positivos de Covid-19 na região até sexta-feira (5) – disponibilizados pelo Condemat (Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê) -, e as informações sobre as doses das vacinas aplicadas na população da região, que foram retiradas do Vacinômetro – ferramenta do Governo Estadual.

Com os dados coletados (confira a tabela) pode-se constatar que há, no momento, mais registros de infectados por Covid-19 do que pessoas vacinadas contra a doença. A pandemia na região está longe de acabar, pois, apenas 1% da população recebeu a segunda dose das vacinas contra a doença.

Segundo Carissa F. Etienne, diretora da Opas (Organização Pan-Americana de Saúde) – que é braço regional da OMS (Organização Mundial de Saúde) -, para atingir a imunidade coletiva ou de rebanho é necessário vacinar ao menos 70% da população, mas há especialistas que afirmam que a porcentagem deve ser ainda maior, ou seja, 90%. De qualquer maneira, o Alto Tietê está longe desses patamares.

Mais vacina

A FNP (Frente Nacional de Prefeito) organizou um Consórcio Público para aquisição de vacinas pelos municípios, e o prazo para manifestar interesse na compra das doses terminou na sexta-feira (5). A GAZETA questionou as cidades da região para saber se os prefeitos iriam aderir ao consórcio.

Arujá, Ferraz de Vasconcelos, Mogi das Cruzese Santa Isabel manifestaram interesse em participar das compras. Itaquaquecetuba e Suzano afirmaram que pretendem adquirir vacinas via Condemat. Já Poá alegou que não tem recursos para essa aquisição e ressaltou que o munícipio está em estado de calamidade pública financeira.

No final da tarde de sexta, o Condemat anunciou que, neste sábado, a região deverá receber mais 5.696 doses da CoronaVac destinada à população de idosos entre 85 e 89 anos.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade