Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Homem é flagrado tentando abusar sexualmente de filhote canina em Mogi

Vídeo com imagens do ato foi encaminhado à vereadora Fernanda Moreno que acionou a Guarda Municipal e NUBEA para deter o criminoso
O caso foi denunciado ao gabinete da vereadora Fernanda Moreno / Foto: Divulgação

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Um homem de 67 anos, morador do distrito de Taiaçupeba, foi detido em flagrante no início da noite de segunda-feira (13), acusado de maus tratos, zoofilia e violência doméstica. Um vídeo, com imagens chocantes do senhor, seminu, tentando abusar sexualmente de uma cachorrinha de cerca de três meses de vida, foi o que serviu como prova para o registro de boletim de ocorrência na Delegacia de Investigações a Crimes Ambientais (DCIMAM) em Mogi das Cruzes.  

O caso foi denunciado ao gabinete da vereadora Fernanda Moreno, fundadora e mantenedora da ONG FERA que, com apoio da Guarda Municipal, Policia Ambiental e integrantes do Núcleo do Bem Estar Animal (Nubea), realizou o resgate dos animais (a vítima e outra filhotinha de cão fêmeas) e detenção do homem.

No momento da abordagem dos guardas municipais, o homem tentou negar o ato criminoso, porém ao ser confrontado com as imagens, ele admitiu estar no vídeo.  De imediato, o cidadão foi conduzido pelos guardas e Polícia Ambiental à delegacia. Lá, os guardas declararam ter flagrado o homem ainda de cueca (como nas imagens) e as cachorrinhas acuadas no fundo do quintal.  

Diante disso e após ouvir policiais e testemunhas, dentre as quais, moradores do bairro, vizinhos ao acusado, o delegado confirmou o flagrante e decretou a prisão do homem por maus tratos, em razão do artigo 32 da lei federal 9.605/98 – “Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos: Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa”. Por se tratar de cão, após julgamento, ele pode pegar de 2 (dois) a 5 (cinco) anos de prisão, multa e proibição da guarda. (Incluído pela Lei nº 14.064, de 2020)”.

“Além de ser um ato covarde contra um ser indefeso, é preciso ter atenção à família desse senhor. Estudos mostram que quem fere animal, se não feriu pode vir a ferir uma criança, mulher. É um efeito cascata, Precisamos garantir que a lei seja cumprida e punição mais severa”, comenta Fernanda Moreno.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade