Ex-dirigente do Bandeirantes briga para manter o patrimônio do clube esportivo

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Esportista jogou no time chegou à presidência e agora está juntando forças para evitar a perda do campo

Por Aristides Barros / Foto: Bruno Arib

Esportista abnegado, o autônomo Ailton Braga Franco, 59 anos, que ainda na infância se revelou jogador de futebol no campo do Bandeirantes Atlético Clube, e assim foi seguindo durante anos jogando em todas as categorias, ao “pendurar as chuteiras” não deixou a agremiação e no início da década de 80 chegou a presidência da equipe.

Depois de anos de afastamento, devido a problemas de ordem pessoal, voltou a se debruçar sobre as questões esportivas bandeirantinas e o que viu não gostou. O clube ao qual tem verdadeira paixão estaria correndo o risco de perder seu patrimônio ostentado em uma área de aproximadamente 25 mil metros quadrados, onde Ailton Braga afirma ter projetos para firmar parcerias visando aumentar a relação amistosa que o Bandeirantes tem com Itaquaquecetuba.

“A gente vislumbra ações sociais e o desenvolvimento de iniciativas que ofertem a cidade boas coisas, porque a área é enorme e pode abrigar bons projetos”, afirma. Juntamente ao poder público e por intermediação dele acredito que isso seja possível”, reitera destacado que defendo a manutenção da área “e que não quer ver o Bandeirantes perdendo um palmo se quer de sua área.

Sem citar nomes, o ex-dirirgente esportivo fala da existência de um grupo se movimentando para se apropriar do terreno do clube. “Já estamos no contra-ataque para barrar qual ação que venha prejudicar o Bandeirantes”, usando o jargão do futebol que que diz que a melhor defesa é o ataque.

Clube chega aos 64 anos neste domingo, um dia festivo para o esporte da região

O time do Bandeirantes completa no próximo domingo (7) seus 64 anos de existência e numa forma de homenagear o clube a GAZETA traz fotos marcantes do time das décadas de 60, 70 e 80, que fazem parte do acervo do professor e historiador Cláudio Sousa, que gentilmente cedeu ao jornal.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade