Em 100 dias de mandato, Eduardo Boigues amplia em 165% a quantidade de leitos para Covid em Itaquá

O governador João Doria (PSDB), que tem evitado eventos públicos presenciais, participou da inauguração do novo Hospital de Campanha para tratamento de Covid-19 em Itaquaquecetuba, na quarta-feira (21), por uma razão: a iniciativa da Prefeitura de Itaquá é fundamental para diminuir a taxa de ocupação de leitos hospitalares em toda Grande São Paulo e contribui para a flexibilização do Plano São Paulo na Região Metropolitana.

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Prefeito assumiu mandato com 29 leitos para a doença e elevou número para mais de 100

Por Lailson Nascimento / Foto: Bruno Arib

O governador João Doria (PSDB), que tem evitado eventos públicos presenciais, participou da inauguração do novo Hospital de Campanha para tratamento de Covid-19 em Itaquaquecetuba, na quarta-feira (21), por uma razão: a iniciativa da Prefeitura de Itaquá é fundamental para diminuir a taxa de ocupação de leitos hospitalares em toda Grande São Paulo e contribui para a flexibilização do Plano São Paulo na Região Metropolitana.

A cidade, que disponibilizou apenas 29 leitos municipais para Covid durante todo o ano de 2020, viu esse número aumentar 165% em apenas 100 dias de gestão de Eduardo Boigues (PP). Conforme informações da Secretaria Municipal de Saúde, o prefeito assumiu o mandato contando com 20 leitos na UPA (cinco de emergência e 15 de enfermaria) e nove no CS (três de emergência e seis de enfermaria).

“Agora, além desses 29, a cidade ganhou [por iniciativa de Boigues] mais 17 leitos na Central de Atendimento Covid-19 (três de emergência e 14 de enfermaria) e 30 no Hospital de Campanha (10 de enfermaria, 10 de UTI e 10 de emergência). Nos próximos dias, vamos abrir mais 30 leitos”, observou a Pasta comandada por Edson Rodrigues, o Edson da Paiol.

Agora, no total, são 77 leitos abertos pela atual gestão e 29 que já funcionavam no governo Mamoru Nakashima e que foram mantidos, alcançando 106 leitos municipais.

“Em tempos atrás nós tínhamos um dos piores números do Alto Tietê [em relação à quantidade de leitos para Covid] e, hoje, com a consciência da população e o trabalho do Poder Público, que até então não tinha sido feito, já estamos com queda nos números da doença e com certeza vamos salvar muito mais vidas”, comemorou o prefeito.

Ele também lembrou que a estrutura da Central da Covid, que foi inaugurada em fevereiro e está instalada no Centro, ficará à disposição do município depois que não for mais necessária para atendimento de casos da doença.

Estrutura

Leitos são individuais e contam com estrutura completa para internação | Foto: Bruno Arib

O hospital foi instalado no Ginásio Municipal Sumiyoshi Nakahadara, na Vila Japão. O pleno funcionamento da unidade prevê 20 leitos de enfermaria e 40 vagas de suporte ventilatório. Com atendimento 24 horas, a unidade vai funcionar em um espaço de 540 m² com farmácia, laboratório, dois ambulatórios médicos, setor de radiografia, aparelho de diálise e tomógrafo.

Os recursos do Governo do Estado, na ordem de R$ 2,68 milhões, vão ajudar a custear os próximos 90 dias de funcionamento do hospital e devem ser pagos em três parcelas. A Prefeitura de Itaquaquecetuba investiu R$ 1,5 milhão para a instalação da unidade.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade