Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Caminho de Damasco se adequa ao estilo de trabalho de Chinchilla, em Santa Isabel

Diferente do que tem sido veiculado por meios de comunicação da cidade, o contrato entre a Prefeitura de Santa Isabel e a OSS (Organização Social de Saúde) Caminho de Damasco segue à risca, garantindo assistência médica à população. Prova disso é que o Conselho Municipal de Saúde aprovou, recentemente, um acréscimo de R$ 100 mil por mês para a responsável pelos postos de saúde do município.

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Prefeito permitiu aumento de repasse à OSS, mas exigiu melhorias no serviço à população

Por Lailson Nascimento / Foto: Bruno Arib

Diferente do que tem sido veiculado por meios de comunicação da cidade, o contrato entre a Prefeitura de Santa Isabel e a OSS (Organização Social de Saúde) Caminho de Damasco segue à risca, garantindo assistência médica à população. Prova disso é que o Conselho Municipal de Saúde aprovou, recentemente, um acréscimo de R$ 100 mil por mês para a responsável pelos postos de saúde do município.

Em entrevista à GAZETA, o prefeito Carlos Chinchilla (PSL), o Dr Carlos Chinchilla, reconheceu que a entidade estava com dificuldades em manter profissionais da área médica em Santa Isabel devido à diferença salarial com outras cidades da região.

O prefeito Carlos Chinchilla durante entrevista concedida à GAZETA | Foto: Djalma Raphael

“O Conselho Municipal de Saúde permitiu o aumento do repasse visando o aumento do salário dos médicos. Isso tendo em vista a falta de médicos e enfermeiros, por conta do salário base. Só pra se ter uma ideia, o médico que trabalha nos postos de Santa Isabel ganha em torno de R$ 13 mil, e as outras cidades pagam de R$ 14 mil a R$ 16 mil. Então, o Conselho de Saúde deliberou e a prefeitura acatou para poder aumentar o salário e manter os médicos na cidade. Senão não teremos médicos. Não tem como concorrer com as cidades da região”, advertiu o prefeito.

Ao mesmo tempo em que permitiu, como prefeito, o aumento do repasse à Caminho de Damasco, o lado médico de Chinchilla falou mais alto quando, já no início do mandato, decidiu cobrar melhorias no atendimento à população. Para a coordenadora do contrato de Santa Isabel, Crislaine Luchetti, essas melhorias serão naturais, já que agora há segurança financeira para que a instituição invista em profissionais de qualidade.

“A partir do momento em que temos uma melhor oferta salarial, a gente consegue captar currículos com uma experiência mais ampla, como também uma formação técnica de qualidade. Essa é a nossa proposta, tanto para médicos como para enfermeiros e farmacêuticos”, explicou.

Ainda segundo ela, o contato entre a organização de saúde e a prefeitura tem sido intenso desde o início da nova gestão.

“Estamos com três meses da nova gestão, e ao longo desse período foram realizadas inúmeras reuniões para conhecer o modo de trabalho da nova Secretaria de Saúde. O que a nova gestão preconiza é a humanização da assistência, tanto no primeiro contato com a recepção como na assistência do atendimento médico, do enfermeiro e do profissional dentista. Isso é uma determinação da nova gestão. Essa semana houve a primeira capacitação de acolhimento e humanização de atendimento ao paciente, e essa será nossa proposta. Treinar e capacitar toda a equipe https://portalgazetaregional.com.br/wp-content/uploads/2023/06/ed440.pngistrativa e assistencial visando essa tratativa mais acolhedora junto ao paciente”, concluiu.

Nos últimos três meses houve um aumento de 25% nas consultas médicas. Em dezembro, 2392. Em janeiro, 2727. Em fevereiro, 3008.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade