Associação de Mulheres discute volta de feira artesanal em Ferraz de Vasconcelos

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Em resposta, vice-prefeito prometeu dar total apoio ao trabalho da entidade

Da Redação / Foto: Divulgação

Idealizada em setembro do ano passado, a AME (Associação de Mulheres Empreendedoras), com sede provisória, na Vila Corrêa, em Ferraz de Vasconcelos, se reuniu com o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e vice-prefeito, Daniel Balke, no Palácio da Uva Itália, nesta terça-feira (26). A audiência foi articulada pelo vereador Claudio Ramos Moreira (PT), que também participou do encontro.

Na oportunidade, a AME pediu o apoio do Poder Executivo para arrumar um espaço apropriado para que os membros, hoje, em torno de 30 filiados, possam expor e comercializar os seus produtos artesanais na cidade. Para a presidente da entidade, Márcia Andréia, caso haja a permissão da https://portalgazetaregional.com.br/wp-content/uploads/2023/06/ed440.pngistração, poderá ser inclusive a Praça Afonso Carlos Fernandes, próximo à Praça da Bíblia, no Centro. Porém, para tanto, se faz necessário melhorar a sua estrutura, isto é, colocar um banheiro químico e energia.

Segundo ela, o mesmo espaço foi usado, em 2020, para a montagem das barracas aos sábados, das 9h às 18h, mas os expositores enfrentaram inúmeros obstáculos justamente por falta de estrutura apropriada. Além disso, caso consigam voltar a instalar a feira artesanal na Praça Afonso Carlos Fernandes, as integrantes da AME querem também expor os seus produtos às sextas-feiras. O órgão estuda ainda a promoção de feira itinerante nos estacionamentos de supermercados.

Por isso, no momento, o assunto encontra-se em tratativa com os donos desses tipos de estabelecimentos comerciais. Simultaneamente, a sua luta para proporcionar uma fonte de renda às mulheres ferrazenses, a AME tenta oficializar a sua criação, ou seja, a formalizar o registro do seu estatuto social e posteriormente fazer o CNPJ. Após a sua legalização plena, a entidade quer oferecer cursos de qualificação profissional as suas integrantes.

Em resposta, Balke prometeu dar total apoio ao trabalho da entidade e, ao mesmo tempo, a sua pasta será o canal indutor para aumentar o processo de desburocratização da máquina pública. No fundo, o secretário afirmou que o objetivo central será criar um novo ambiente, o que inclui, por exemplo, a implantação da casa do empreendedor e a própria mudança de endereço da pasta. Ele admite, por sinal, em ceder uma sala no futuro espaço para a AME.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade