Declínio da economia

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Ao andarmos nos grandes centros do Brasil, é comum repararmos um aumento significativo na quantidade de pessoas morando nas ruas, e por quê?

A resposta é complexa, visto que essa situação é reflexo de diversas causas. Algumas pessoas estão nessa condição devido ao envolvimento com drogas, como é o caso da cracolândia, em São Paulo.

Existe um problema de saúde envolvido? Sim, existe. No entanto, esse assunto é de responsabilidade dos profissionais da área da saúde.

Por outro ângulo, muitos dos indivíduos que se encontram nessa situação chegaram ao fundo do poço devido à perda do emprego ou ao fato de que sua renda não é suficiente para cobrir as despesas.

“Mão invisível”

Conforme o deputado federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PL/SP):”O brasileiro sempre foi um povo empreendedor, construtor de riquezas, mas o Estado está acabando com a liberdade para trabalhar”.

Sou adepto da mesma visão, pois através de altos impostos e uma burocracia infinita, está cada vez mais difícil nossa economia crescer.

A ideia hoje será observarmos como a intervenção via impostos está drenando os rendimentos do trabalhador.

Segundo o Caged, foram criados 1,48 milhão de empregos em 2023, representando um recuo de 26,3% em relação ao ano anterior.

Mesmo com o reajuste do salário mínimo acima da inflação, ele ainda penaliza os trabalhadores. Por quê? Devido à tributação no Imposto de Renda.

No momento, aqueles que recebem um salário bruto de R$ 3.000,00, com os descontos básicos, terão um rendimento líquido de R$ 2.693,97. Segundo o Datafolha, estamos falando de apenas 16% da população, porque 66% das famílias receberam até R$ 2.034,00 em 2023.

Por outro lado, estamos enfrentando um aumento excessivo no custo de vida. De acordo com o índice FipeZap, os aluguéis, por exemplo, tiveram um reajuste de 16,16% em 2023, o que foi quatro vezes maior do que a taxa de inflação.

Enquanto isso, os preços dos alimentos também continuaram em alta. Segundo a Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), o valor do arroz teve um aumento superior a 16%.

Além disso, enfrentamos desafios no âmbito da educação brasileira. Infelizmente, os resultados do exame PISA vêm demonstrando, ano após ano, a necessidade de reformas na educação.

Portanto, é fundamental que o governo pare e reavalie suas ações, sinalizando menos impostos e burocracia, objetivando a geração de empregos e melhorar a renda média da população brasileira.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economista formado na PUC/SP

Reportagens - 24
Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade