Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Cerca de 15% dos brasileiros podem ter a cidadania italiana

Conforme dados da Embaixada Italiana no Brasil, há cerca de 30 milhões de ítalo-descendentes no país. Esse número representa cerca de 15% da população brasileira, que por descenderem de italianos, tem direito a solicitar a cidadania italiana.
Cerca de 15% dos brasileiros podem ter a cidadania italiana
Cerca de 15% dos brasileiros podem ter a cidadania italiana

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

A imigração italiana no Brasil completou 150 anos em 2024. Os cerca de 380 italianos que desembarcaram em Vitória (ES) foram os primeiros de uma comunidade que, atualmente, chega a casa dos 30 milhões de ítalo-descendentes.

Os primeiros italianos que imigraram para o Brasil saíram da região dos Vênetos para trabalhar em uma colônia brasileira de extração de madeira e cultivo de café.

Junto das raízes culturais italianas, os descendentes também contam com o direito de solicitar o vínculo com o país europeu e, assim, obter a cidadania italiana. A conquista do documento garante ao brasileiro com dupla nacionalidade os mesmos direitos que um cidadão nativo.

15% dos brasileiros têm direito à cidadania italiana

De acordo com informações da Embaixada Italiana, compartilhadas pela Embratur, o Brasil tem cerca de 30 milhões de ítalo-descendentes. Esse número representa, em 2024, por volta de 15% da população brasileira que possui vínculo com o país europeu.

Conforme a lei italiana, os descendentes desses imigrantes têm o direito de reconhecer seu vínculo com o país europeu e, dessa forma, conquistar a dupla cidadania.

Essa possibilidade tem sido objeto de desejo para muitos brasileiros que querem viver fora do país e escolhem a Itália e a Europa como destino.

David Manzini, CEO da Nostrali Cidadania Italiana, assessoria especializada em ajudar ítalo-brasileiros a reconhecerem sua dupla cidadania, explica que o número de pedidos têm aumentado nos últimos anos. “A quantidade de brasileiros que dão entrada no processo de reconhecimento da dupla cidadania está crescendo ano após ano. Inclusive, com o advento da pandemia e a impossibilidade de circular de um país para outro na época, a via judicial ganhou destaque na preferência dos descendentes e permanece assim desde então”, comenta.

Manzini destaca que a via judicial é uma forma de solicitar o reconhecimento da cidadania italiana sem que o ítalo-descendente tenha que sair do Brasil. “É entrado com um processo em um tribunal italiano, onde toda a documentação do solicitante é analisada e, a partir disso, o juiz dá a sentença”, salienta.

Passaporte italiano é um dos mais poderosos do mundo

Um dos principais motivos para a busca dos brasileiros pelo reconhecimento da dupla cidadania é o acesso ao passaporte italiano, atualmente em segundo lugar na classificação dos mais poderosos do mundo. A informação é do Henley Passport Index.

O documento só pode ser emitido depois que o processo de cidadania for concluído com sucesso. Na Itália, o interessado deve se deslocar ao departamento de polícia mais próximo para emissão do passaporte. Já no Brasil, o processo deve ser via consulado.

O ítalo-brasileiro deve se apresentar ao consulado responsável pela região onde mora no Brasil e é necessário que tenha seus dados atualizados e que tenha cadastro no AIRE na rede consular responsável pela sua área de residência.

Cidadania italiana é oportunidade para viver e empreender na Europa

A cidadania italiana oferece diversos benefícios significativos para quem deseja morar ou empreender fora do Brasil. Manzini explica que, com a dupla nacionalidade, o brasileiro pode circular livremente pela União Europeia. “Ser cidadão italiano confere o direito de residir em qualquer um dos 27 países da União Europeia sem necessidade de visto ou autorização especial, proporcionando maior mobilidade e liberdade para escolher o país que melhor se adequa às necessidades pessoais e profissionais da pessoa”, comenta.

Para empreendedores, Manzini salienta que a cidadania facilita o acesso a mercados europeus amplamente diversificados e economicamente robustos. “Com isso, fica mais simples abrir e operar empresas em países da União Europeia, aproveitando os incentivos governamentais e uma vasta rede de negócios e investimentos”.

Os cidadãos italianos, além disso, têm acesso a sistemas de saúde e educação de alta qualidade em diversos países europeus, muitas vezes gratuitamente ou a custos reduzidos. Este acesso pode resultar em uma melhor qualidade de vida e mais oportunidades de desenvolvimento pessoal e profissional para si e para sua família.

Por fim, Manzini explica que mesmo se a ideia não for ficar na UE, a dupla cidadania também é útil para os brasileiros. “A cidadania italiana facilita o processo de obtenção de vistos de permanência para outros países fora da Europa, devido a acordos internacionais e à maior aceitação de passaportes europeus em geral. Em alguns casos, é necessária apenas uma autorização, que pode ser feita online, de maneira rápida e fácil”, conclui.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp
dino
Reportagens - 6744
Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade