Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Relatório aponta dados da confiança do empresário industrial

Conforme informado na publicação, enquanto a região Sul enfrentava desafios, outras regiões do Brasil mostraram avanços na confiança industrial.
Relatório aponta dados da confiança do empresário industrial
Relatório aponta dados da confiança do empresário industrial

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Segundo os dados apresentados pelo Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) de maio de 2024, a região Sul do Brasil sofreu um impacto devido às enchentes recentes, resultando em uma queda na confiança empresarial. O índice da região caiu 3,5 pontos, passando de 50,9 para 47,4, indicando uma transição da confiança para a falta de confiança. Este declínio contrasta com o aumento da confiança observado em outras regiões do país.

Conforme informado na publicação, enquanto a região Sul enfrentava desafios, outras regiões do Brasil mostraram avanços na confiança industrial. O Norte do país registrou o maior aumento, com um crescimento de 3,9 pontos, alcançando 56,5. No Nordeste, a confiança subiu 1,2 ponto, chegando a 56,1. No Centro-Oeste, o crescimento foi mais modesto, com um aumento de 0,6 ponto, resultando em 54,3. Já no Sudeste, a confiança permaneceu quase estável, com um leve aumento de 0,2 ponto, atingindo 50,6.

O relatório aponta dados detalhados sobre a confiança nos diferentes setores da indústria. Em maio de 2024, a confiança cresceu em 14 de 29 setores, enquanto os 15 setores restantes registraram queda. Três setores, especificamente Perfumaria, limpeza e higiene pessoal, Serviços especializados para a construção e Máquinas e equipamentos, passaram da falta de confiança para a confiança. Por outro lado, os setores de Equipamentos de informática, eletrônicos e ópticos e Calçados e suas partes fizeram o movimento oposto.

Além disso, a confiança variou pouco entre os diferentes portes de empresas, mantendo-se relativamente estável entre abril e maio. Pequenas empresas apresentaram um índice de 49,9 pontos, muito próximo da linha divisória de 50 pontos, indicando uma avaliação neutra. Médias e grandes empresas mantiveram-se confiantes, com índices de 51,0 e 53,5 pontos, respectivamente.

José Antônio Valente, diretor da empresa locadora de equipamentos Trans Obra, afirmou que em termos setoriais, o fato de 14 de 29 setores terem registrado aumento na confiança é um sinal positivo de recuperação e resiliência. No entanto, os setores que ainda enfrentam falta de confiança precisam de atenção específica. “Estratégias personalizadas para cada setor, considerando suas particularidades e desafios, são necessárias para promover um ambiente de negócios mais estável e confiável. A digitalização e a adoção de novas tecnologias podem ser catalisadores importantes para esses setores”.

José Antônio continuou dizendo que um exemplo concreto de como setores específicos podem se beneficiar dessa abordagem é o segmento de locação de equipamentos em Ribeirão Preto, São Paulo. Com o aumento da confiança e investimentos em infraestrutura, este setor pode se expandir, atendendo às necessidades crescentes de construção e desenvolvimento industrial na região. Esse crescimento pode ser um indicador de como o investimento correto pode alavancar setores específicos, gerando empregos e impulsionando a economia local.

Segundo informações apresentadas no relatório, que pode ser analisado na íntegra através do link informado no início desta matéria, a coleta de dados para o ICEI foi realizada entre os dias 1 e 16 de maio de 2024, abrangendo 2.001 empresas de diferentes portes: 800 pequenas, 721 médias e 480 grandes empresas.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp
dino
Reportagens - 6239
Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade