Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Setor financeiro investe bilhões em compliance em 2024

Bancos destinam bilhões para aprimorar dados, compliance, segurança e experiência do cliente, fortalecendo a luta contra crimes financeiros.
Setor financeiro investe bilhões em compliance em 2024
Setor financeiro investe bilhões em compliance em 2024

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

O ano de 2024 está sendo marcado por um grande investimento no setor financeiro brasileiro, com um montante de R$ 47,4 bilhões direcionados para diversas áreas. Essa quantia será destinada a aprimorar dados, compliance, segurança e a experiência do cliente, refletindo a importância no mercado financeiro. A modernização dos sistemas de dados permitirá uma gestão mais eficiente e segura das informações, enquanto os avanços em compliance garantirão que as operações estejam sempre alinhadas com as regulamentações vigentes.

Essa iniciativa é impulsionada por 113 bancos associados à Febraban (Federação Brasileira de Bancos), destacando a união e a preocupação do setor em combater crimes financeiros e fortalecer a confiabilidade das instituições. O compromisso em melhorar a segurança e a experiência do cliente é um reflexo da necessidade de adaptação às novas exigências do mercado e da sociedade. 

O que o compliance abrange? 

Compliance vai além de seguir as regras. É um compromisso com a ética, a transparência e a responsabilidade, abrangendo toda a organização a longo prazo. Ao implementar um programa de compliance, a empresa assume algumas responsabilidades essenciais:

  • Gestão de riscos: atua contra perigos como fraudes, corrupção, sanções legais e danos à reputação, identificando e analisando os riscos.
  • Cumprimento de obrigações legais: garante que a organização esteja em dia com todas as suas obrigações legais, sejam elas fiscais, trabalhistas, ambientais ou de qualquer outra natureza.
  • Prevenção de ações antiéticas: promove uma cultura de ética e integridade em toda a organização, desde a alta gerência até os colaboradores da base.
  • Combate à corrupção: estabelece práticas que previnem e detectam qualquer tipo de prática corrupta.
  • Cumprimento de normas internas: assegura que todas as normas e procedimentos internos sejam cumpridos rigorosamente, incluindo políticas de saúde e segurança até regras de conduta e uso de recursos.
  • Transparência: garante que todos os processos da empresa, tanto internos quanto externos, sejam realizados de forma transparente e aberta.

A necessidade crescente de ações de compliance contra crimes financeiros é um dos principais motivos para esse investimento bilionário. Em 2023, os custos de compliance na América Latina, incluindo o Brasil, aumentaram 97%, alcançando US$15 bilhões, segundo um estudo da Lexis Nexis Risk Solutions. No último ano, R$39,9 milhões foram destinados à capacitação de 226,4 mil profissionais de tecnologia, um aumento de 139% em relação a 2022, demonstrando o compromisso do setor em se atualizar e combater novas ameaças cibernéticas. 

Os investimentos também visam aprimorar a experiência do cliente, utilizando a tecnologia para oferecer serviços eficientes e seguros. “Ao assumir essas responsabilidades, o compliance se torna um investimento estratégico para as empresas, principalmente o setor financeiro, comprometido com a ética e o crescimento responsável empresarial”, comenta a presidente e cofundadora da tuvis, startup brasileira-israelense especializada em sistemas de segurança cibernética e compliance para aplicativos de mensageria, Deborah Palacios Wanzo. 

A solução da tuvis é hoje uma aliada de grandes empresas mundialmente para prevenir vazamento de dados sensíveis e garantir o uso de aplicativos de comunicação como o WhatsApp dentro das instituições financeiras de maneira segura. 

O estudo da Forrester Consulting, realizado com 268 instituições financeiras na América Latina, revela que 39% dos entrevistados identificam as crescentes exigências relacionadas a crimes financeiros e as expectativas regulatórias como os principais motivos do aumento dos custos de compliance. Diante desse cenário, o investimento em dados, segurança e experiência do cliente fazem parte das práticas diárias do setor financeiro brasiliero, que visa constantemente aprimorar a segurança e compliance dentro das organizações. “As instituições que se destacarem nesse quesito, futuramente, serão as que conquistaram a confiança dos clientes e se posicionam como líderes no mercado atual”, finaliza Deborah.  

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp
dino
Reportagens - 6711
Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade