Search
Close this search box.
Search
Close this search box.

Médicos orientam como manter as crianças hidratadas no verão

Bebês recém-nascidos e até um ano de idade, ensina a nutricionista, não podem tomar água, chá, sucos ou outros líquidos.
Médicos orientam como manter as crianças hidratadas no verão
Médicos orientam como manter as crianças hidratadas no verão

Receba as novidades direto no seu smartphone!

Entre no nosso grupo do Whatsapp e fique sempre atualizado.

Com o calor acima da média para o verão em diversas regiões do Brasil, se hidratar mais é essencial para não adoecer. Mas para os pais esse pode ser um desafio à parte, quando lidam com seus filhos. Não é toda criança que gosta de água in natura. Por isso, alguns recorrem aos sucos e outros tipos de líquidos, para que os pequenos tenham alguma ingestão de líquido para hidratar o corpo. Entretanto, o suco não é a forma de hidratação ideal para crianças.

Sarina Giongo Antoniassi, nutricionista materno infantil do Eco Medical Center, em Curitiba, explica que, apesar de as crianças preferirem os sucos, é a água que vai hidratar e regular a temperatura do organismo. Por isso, por mais que as crianças “batam o pé” e peçam suco, o adulto deve estimular ao máximo a hidratação com água, até que a criança aprenda a gostar, entender a importância e passe a consumir por conta própria. “Deixar garrafinhas abastecidas com água pela casa é uma ótima dica”, diz a profissional.

Isso não significa, no entanto, que o suco deva ser proibido às crianças. Pelo contrário, ele continua sendo saudável e indicado, mas como opção para compor um lanche ou as refeições, sempre lembrando que o suco deve ser consumido preferencialmente de forma natural, feito diretamente da fruta e sem açúcar. Mas o lembrete é claro: nos intervalos das refeições, a hidratação deve ser feita com água.

Bebês x água

Bebês recém-nascidos e até um ano de idade, ensina a nutricionista, não podem tomar água, chá, sucos ou outros líquidos. No caso deles, a hidratação, até os seis meses de idade, é feita exclusivamente com leite materno ou fórmula infantil. Depois desse período, o pediatra e o nutricionista vão introduzindo aos poucos outras formas de alimentação e hidratação na rotina da criança.

Os  sucos naturais, no entanto, só podem ser dados aos bebês após um ano de idade, sempre sem açúcar, e com a quantidade controlada por faixa etária, seguindo sempre a orientação médica.

Alimentos que ajudam a hidratar

Nessa época de calor, as famílias devem priorizar as preparações leves, de fácil digestão e caprichar no consumo de frutas, verduras e legumes. É preciso evitar frituras, carnes mais gordurosas e pratos com grande quantidade de feijão na preparação (feijoada, por exemplo), que são pratos muito pesados para o calor.

Existem frutas e legumes que possuem mais água na composição e ajudam no processo de hidratação do corpo, sendo grandes aliadas. São exemplos: melancia, melão, abacaxi, tomate, abobrinha, pepino, que são justamente os alimentos dessa safra, da época de verão.

 

Crianças e a falta de apetite

Sarina reforça que, no verão, com o excesso de calor, algumas crianças podem ter o apetite reduzido. “Então, sempre observar se a criança está consumindo os mesmos grupos que sempre consumiu, se ela não está reduzindo os grupos alimentares. Porque se ela só reduzir um pouco a quantidade, é normal, é aceitável por causa das altas temperaturas”, ensina a nutricionista.

 

Locais “limpinhos”

Outro fator importante sobre a alimentação nessa época do ano, alerta Sarina, é para a qualidade higiênico-sanitária dos locais onde a família vai comer. Nessa época de verão, aponta ela, é mais comum às famílias alimentarem-se fora de casa, devido às férias escolares.

Mas é preciso tomar muito cuidado com o local escolhido para isso. “Observe bem a qualidade higiênico-sanitária dos locais onde vão comer, a estrutura do local, o asseio dos colaboradores e evitem elementos de risco, como maionese caseira feita com ovo cru, por exemplo, ou produtos muito manipulados, para não terem nenhuma questão relacionada à contaminação de alimentos, que é favorecida por essas altas temperaturas do verão”, alerta Sarina.

Sobre o Eco Medical Center

O Eco Medical Center é um centro médico em Curitiba, criado para facilitar a jornada de saúde do paciente. No ecossistema, é possível encontrar mais de 35 especialidades médicas, além de diversos serviços de saúde pensados para levar praticidade e comodidade ao paciente que busca atendimentos preventivos e tratamentos, tudo em um só dia e no mesmo lugar.

Compartilhe com Todos!
Facebook
WhatsApp
Reportagens - 5112
Fique Informado!

Siga a Gazeta

Leia Também

Publicidade